1304 direitos no sus outros assuntos 01

Foto: Acervo da Pastoral da Criança

Desde 2003, a Pastoral da Criança conta com voluntários que atuam como Articuladores de Saúde, que têm como função: acompanhar a atuação do Conselho de Saúde, preencher a Folha de Acompanhamento do Conselho de Saúde (FAC-Saúde) e, principalmente, ser a ponte entre o Conselho de Saúde e a comunidade, tendo como ponto de partida as necessidades sentidas pela população, para promover, proteger e ampliar o direito à saúde. 

A atuação do Articulador junto ao Conselho Municipal de Saúde é considerada uma ação complementar ao trabalho da Pastoral da Criança. Uma vez que, ações de saúde quando realizadas junto às famílias e comunidades, e complementadas com políticas públicas de saneamento básico e do meio ambiente, entre outras, favorecem a diminuição da mortalidade e da desnutrição infantil e contribuem para o desenvolvimento infantil.

Ao preencher a FAC-Saúde mensalmente, o Articulador de Saúde fornece informações que servem de base para as suas ações e para o serviço da Pastoral da Criança. Por exemplo: o índice de mortalidade infantil, o uso de antibiótico e a frequência e participação nas reuniões do Conselho. Esses indicadores colaboram para a elaboração de ações concretas e imediatas de prevenção, que serão realizadas com a ajuda da comunidade, do serviço de saúde, do Conselho de Saúde e, quando necessário, até da coordenação nacional da Pastoral da Criança.

Quando o Articulador visita a Unidade Básica de Saúde (UBS) e se torna o elo de ligação entre esse serviço e a comunidade, ele contribui para garantir o acesso e o atendimento com qualidade às crianças e gestantes.  Ele verifica se ocorre, por exemplo, a oferta mínima de seis consultas de pré-natal e exames básicos, acesso a vacinas e à primeira dose imediata de antibiótico para as crianças, assim como a orientação para os responsáveis sobre como utilizar o medicamento. 

Saiba mais: Articulador junto ao Conselho de Saúde

Você deve estar se perguntando: como isso é possível?

Desde o começo desta ação, a Pastoral da Criança definiu que a missão do Articulador é contribuir para melhorar as condições de saúde de toda a população do município, em especial das crianças em situação de vulnerabilidade.

Ao verificar o total de mortes de crianças menores de 1 ano no município, o Articulador poderá estudar as causas, propor soluções locais e assim, evitar que outras mortes aconteçam.

Para isso, adota um método muito utilizado pela Teologia da Libertação na década de 80. O método se caracteriza por estudar a realidade e depois iluminá-la com a Palavra de Deus. A sua eficácia se dá pelo estudo das causas. Ao VER, JULGAR, AGIR, AVALIAR e CELEBRAR, o Articulador pode perceber os fatos e evitar que eles voltem a acontecer.

Prevenir a mortalidade infantil e melhorar o acesso aos serviços de saúde.

  • Participar da equipe de coordenação diocesana ou paroquial da Pastoral da Criança.

  • Ser indicado e aprovado pela equipe de coordenação da paróquia e da diocese.

  • Ser um multiplicador de informações para a comunidade.

  • Participação da capacitação ‘Articulador junto ao Conselho de Saúde’ da Pastoral da Criança.

  • Participar do Conselho Municipal de Saúde

  • Divulgar as reuniões do Conselho para a comunidade

  • Ser a ponte entre o Conselho e a comunidade

  • Visitar as Unidades Básicas de Saúde (UBS)

  • Reunir-se com a população para discutir estratégias que visem melhorar a saúde e entender as suas necessidades.Reunir-se com os demais articuladores e com a coordenação de área ou de paróquias do município

  • Preencher a FAC-Saúde

Com o propósito de ampliar a participação da Pastoral da Criança e o seu envolvimento com as políticas públicas, além de melhorar as políticas públicas de saúde, o ideal é que em cada município, e mesmo em cada paróquia, houvesse o Articulador de Saúde.

Apesar de um cálculo ideal indicar a necessidade de 6.547 Articuladores, um articulador por paróquia, no Brasil, contamos hoje com 794 ativos.

(Dados do 2º trimestre de 2016 - Formulário 98)

É preciso apresentar o interesse de ter ou ser um Articulador de Saúde para a coordenação paroquial da Pastoral da Criança. Em seguida, a demanda será enviada à coordenação diocesana, que planejará  com o seu capacitador ou buscará o capacitador de uma diocese próxima, para a realização da capacitação

Caso não exista capacitador para atender as dioceses, a coordenação estadual pode solicitar à coordenação nacional a capacitação de capacitadores na ação.